A Semana da Pátria é comemorada no Brasil entre os dias primeiro e sete de setembro, celebrada em torno da independência do Brasil, neste período reforça se a importância dos símbolos nacionais.

No ano de 1822, diversos grupos das elites brasileiras e portuguesas discutiam quanto ao rumo que os países deveriam tomar. Aristocratas e comerciantes do Brasil buscavam mais liberdade, em termos econômicos e políticos. Já as Cortes portuguesas desejavam uma recolonização do Brasil. Então, nos conta a história que no dia 7 de setembro daquele ano às margens do Rio Ipiranga, Dom Pedro l, em um ato heroico, proclamou a Independência do Brasil, contrariando a vontade de seu pai de D. João VI, rei de Portugal, o qual exigia submissão do domínio ao Reino Português.

Por meio da independência, o Brasil deixou de ser colônia Portuguesa e passou a ser uma nação independente. Com este evento o país organizou-se como monarquia e tinha Dom Pedro l como  seu imperador.

A Independência, no entanto, foi mais burocrática do que heroica. Para ser reconhecido como país independente, o Brasil precisava do reconhecimento oficial das outras nações. Para isso, mediante acordos comerciais extremamente desfavoráveis ao nosso jovem país, a Inglaterra usou seu exército de mercenários e seu prestígio internacional para garantir a independência. O Brasil ainda pagou a indenização de dois milhões de libras esterlinas a Portugal. O reconhecimento, finalmente veio em 1825.

Por fim, nesta semana em que comemoramos 200 anos de tamanha conquista para o nosso povo, vale lembra que devemos valorizar o civismo, o patriotismo e o pertencimento ao país.